• Tarsiane Santos

Crítica | A queda - Glória Groove


Foto: Reprodução/Spotify


O videoclipe é o gênero audiovisual que transpassa o conceito de alinhamento da música com a construção iconográfica ou de apoio visual para composições musicais, uma vez que, sendo conjunto de formas de linguagens comunicativas pós-modernas, o videoclipe é interpretado como forma de arte independente. Nascido para finalidade de ser ferramenta de divulgação de artistas dos anos 80, os videoclipes se popularizaram com o avanço dos canais televisivos e nos dias atuais, seguindo tendências tecnológicas, tornaram-se grandes obras audiovisuais.


Em outubro de 2021, a artista Gloria Groove lançou sua grande produção artística: o videoclipe “Queda”, single que compõem o álbum intitulado “Lady Leste”. O clipe permaneceu em primeiro lugar nos vídeos em alta no Brasil por cinco dias consecutivos após seu lançamento e conta com mais de 48 milhões de visualizações, alcançando números diários de 1 milhão de visualizações4. O hit ainda alcançou o 171º lugar no Top 200 da Billboard5, revista especializada em tendências no ramo musical. A direção do videoclipe é de Samy Elia6, conhecido por trabalhar com as icônicas bandas Mamonas Assassinas e Charlie Brown Jr. e direção criativa da própria Gloria Groove, Indio e Felipe Sassi7, diretor de trabalhos “Pesadão” da cantora Iza e “Rainha de favela” da artista Ludmilla.


A letra e a produção artística retratam o circo de horrores do ‘’cancelamento’’ na internet, trazendo uma forte crítica aos juízes da internet e propôs ao público uma reflexão de como a exposição de pessoas públicas pode afetar o convívio em sociedade. O clipe cresce em uma sequência de cenas onde Glória é um ‘’palhaço’’, convidando o público para assistir ao espetáculo do seu cancelamento, onde ela comete deslizes e será julgada pelos haters. O termo hater nasceu na internet para classificar pessoas disseminadoras de ódio (hate, em inglês) indiscriminado, usando como proteção o anonimato nas redes sociais.


Em seguida, vira uma noiva despida e expressa o desespero de ser exposta, trazendo a ideia de que artistas e figuras públicas estão cada vez mais tendo a privacidade de suas vidas invadida. A perseguição e exposição que, antigamente, tinham a idealização na imagem de poucos paparazzis, hoje em dia, com o advento da globalização e avanços em tecnologia, conta em maior número de pessoas comuns munidas de um celular conectado à internet. Casos como as perseguições de Britney Spears e da princesa Diana são pontuais quando comparadas a ataques diários sofridos à imagem de artistas como Luísa Sonza, Camila Cabello e Sydney Sweeney.


Na segunda parte é mostrado o que seria o limbo após-cancelamento, um poço com uma escada que ela tenta subir, mas monstros puxam para baixo, como se trazendo o deslize à tona e caindo como animais em cima dela. Nessa espécie de esgoto, a produção dos ‘’seres’’ é assustadora e oculta quem eles são: ‘’Esses seres ficam na sombras, ficam se escondendo por trás, -às vezes- de um perfil fake na sombra da internet’’, comentou Felipe Sassi, diretor criativo e roteirista.


E no final, Glória se torna uma marionete controlada, com todas as atitudes engessadas, onde a letra que nas cenas anteriores é ‘’Garanta seu ingresso pra me ver fazendo merda’’ vira ‘’Já tenho o meu ingresso pra te ver fazendo merda’’, o que dá o gancho de ciclo, onde as pessoas cancelam um artista e já se preparam para fazer o mesmo com outros. No link do vídeo em seu canal do YouTube a artista em um comentário dedica “queria escrever uma canção sobre o quanto a sociedade pode ser cruel e sádica diante de um momento de vulnerabilidade de qualquer pessoa. RESPEITÁVEL PÚBLICO ASSISTAM #AQueda 🎪”


Em entrevista a artista Gloria Groove revela que sua inspiração para o clipe foi a artista Karol Conka. Conka protagonizou o maior cancelamento de 2021 quando participou do reality show Big Brother Brasil da emissora Rede Globo, ao se manifestar de maneira grosseira, preconceituosa e, que para muitos fãs, não condizem com a imagem construída pela cantora em suas músicas. Ao sair do programa com recorde de rejeição no mundo, Conka encarou uma legião de comentários negativos a seu respeito, menos 500 mil seguidores no Instagram e uma perda de estimados 5 milhões de reais, além da dificuldade de conseguir contratos de publicidade com a crise de imagem enfrentada.


No final das contas, Gloria Groove conseguiu fazer com A queda, uma crítica social em audiovisual atrelada à letra de forma lúdica e bem elaborada, que incita o policiamento aos comportamentos na internet. Recentemente a artista, confirmada como atração do Rock in Rio 2022, publicou um vídeo em seu canal intitulado “Quem dá mais…” reunindo os views de todas as suas vinte e uma produções audiovisuais desde 2016 com “Dona” até “Queda” de 2021, passando pelo sucesso de sua carreira, o videoclipe mais acessado “Bumbum de Ouro”, com 130 milhões de visualizações.


Sem dúvidas a carreira de Gloria Groove é sólida e repleta de parcerias que elevam o padrão de suas produções, sendo promessa para revolucionar a indústria musical brasileira, competir com os maiores artistas internacionais, e com certeza, ascender a carreira de uma drag, negra e rapper como importante símbolo de representatividade e humanidade.


___________________________

Por Tarsiane Santos e Raissa Auxiliadora

Projeto acadêmico